Mês do Orgulho: Promovendo Culturas Inclusivas e Segurança Psicológica para todos os Funcionários

O Pride Month 2023 é uma oportunidade para organizações, comunidades e indivíduos mostrarem apoio à comunidade LGBTQ+.

Durante o Pride Month e ao longo do ano, os profissionais de RH podem ser parceiros de negócios estratégicos na criação de uma cultura inclusiva que promova um ambiente de trabalho psicologicamente seguro, no qual os funcionários LGBTQ+ possam trazer sua autenticidade para o trabalho e contribuir para o sucesso da organização.

Resumidamente, a história do Pride Month remonta a 28 de junho de 1969, na cidade de Nova York, quando a polícia invadiu o Stonewall Inn, um local de encontro popular para membros da comunidade LGBTQ+. Quando os patronos e milhares de manifestantes decidiram revidar, mais tarde chamado de Revolta de Stonewall, tornou-se um ponto de virada para o movimento pelos direitos civis LGBTQ+.

Hoje, 53 anos depois, organizações em todos os setores e regiões geográficas reconhecem os benefícios da diversidade, equidade e inclusão (DEI) — desde atrair e reter talentos até níveis mais altos de engajamento dos funcionários, produtividade e inovação orientada para o cliente.

Allyship constrói pertencimento ao local de trabalho

Em uma pesquisa da EY em 2022 com 3.000 funcionários dos EUA, 53% dos entrevistados LGBTQ+ disseram que DEI significa uma cultura que se concentra no pertencimento. Quando os funcionários sentem que pertencem e suas contribuições são valorizadas, eles podem ser mais produtivos, motivados e engajados.

Não ter um sentimento de pertencimento, prejudica o local de trabalho, onde indivíduos e equipes acabam deixando de prosperar. De acordo com uma pesquisa da Glassdoor de 2023, quase 45% dos americanos LGBTQ+ empregados dizem que acreditam que estar ‘assumido’ no trabalho pode prejudicar suas carreiras, e mais da metade (55%) relata ter experimentado ou testemunhado comentários anti-LGBTQ+ de colegas de trabalho.

Como defensores do DEI, aliados no local de trabalho falam sobre comportamentos negativos. Os aliados ouvem, conscientizam e fazem as pessoas se sentirem seguras e apoiadas. Os aliados perguntam aos outros sobre suas experiências e dedicam tempo para entender sua perspectiva.

A segurança psicológica impulsiona mudanças positivas

A aliança e o sentimento de pertencimento andam de mãos dadas com a segurança psicológica – uma crença compartilhada entre os funcionários de que eles podem expressar suas preocupações, opiniões e ideias, admitir erros e pedir ajuda sem consequências negativas. Quando os membros da equipe se sentem psicologicamente seguros, é mais provável que iniciem a comunicação e a colaboração com gerentes e colegas de trabalho, compartilhem desafios e ofereçam soluções criativas para os problemas.

Quando os funcionários não se sentem psicologicamente seguros para falar, isso pode afetar sua saúde mental e física, nível de engajamento e se eles escolhem sair ou ficar. Uma pesquisa recente da Traliant com 2.000 funcionários americanos em tempo integral revelou que 21,6% dos entrevistados não sentem que seu local de trabalho promove a segurança psicológica, enquanto 50,8% disseram que seu ambiente de trabalho promove o esgotamento.

Os gerentes podem exemplificar a segurança psicológica no local de trabalho verificando regularmente os membros da equipe, ouvindo ativamente com empatia, compartilhando suas próprias experiências e procurando outras pessoas com origens, identidades e pontos de vista diversos.

Informações e ações

Para os profissionais de RH, o Pride Month todo mês de junho é uma oportunidade de envolver a liderança e os funcionários no reconhecimento das contribuições dos funcionários LGBTQ+ e destacar as atividades durante todo o ano que promovem uma cultura de trabalho inclusiva.

Como parte de uma abordagem holística do DEI e abordando as barreiras à inclusão, as organizações devem treinar regularmente funcionários e gerentes sobre segurança psicológica, intervenção do espectador, viés inconsciente e microagressões; peça feedback dos funcionários por meio de pesquisas e uma caixa de sugestões anônima; iniciar e dar suporte a grupos de funcionários; e encorajar os gerentes a agendar discussões informais com os membros da equipe.

A promoção de uma cultura inclusiva no local de trabalho, na qual todos os funcionários se sintam seguros, respeitados e apoiados, pode resultar em melhores resultados comerciais, desde recrutamento e retenção até engajamento e produtividade dos funcionários.

Compartilhe nas redes sociais:

Você pode se interessar:

Lei da Igualdade Salarial: homens e mulheres na mesma função devem receber a mesma remuneração

Além de salários iguais, a Lei 14.611/23  prevê  a divulgação de relatórios, a promoção de inclusão e o incentivo à

Com ESG contabilidade passa a ganhar novos contornos
ESG

Mercado vê profissionais como aliados para garantir que as empresas operem de forma responsável. A sustentabilidade é tema atual na

Nossos Patrocinadores

Bonvicino e Barbosa Advogados
Ana Luiza de Sá
Legal Control
Ethquo
2PAR Consultoria
AZM Advogados Associados

Seja um colunista

Junte-se ao time de colunistas apaixonados e comprometidos, que fazem parte desse movimento de compartilhamento e aprendizado, enriquecendo a jornada de todos que nos acompanham. 

Junte-se a nós!

Inscreva-se e receba nossa newsletter:

Academy Plus

Conheça o streaming da Democratizando!

Edit Template

Seja um colunista!

Vamos juntos enriquecer a jornada de todos que nos acompanham?